quarta-feira, 7 de junho de 2017

Noite do Prazer



Alexandre (irei chama-lo desse modo) estava hospedado em minha cidade, era fim de semana e longe dos amigos, de casa, decidiu fazer algo especial.
__ Quanto você cobra para passarmos a noite juntos?
Fiz meu preço e a meia noite em ponto me pegou.
__ Boa noite...
__ Boa noite linda.
Peguei meu cachê de suas mãos e rolou um beijo delicioso.
__ O que acha de jantarmos antes?
A noite era dele, eu também.
__ Vamos!
Um homem charmoso, acaba de completar trinta e oito anos, perfumado, bem vestido, com um sorriso cativante e muito gostoso do meu ponto de vista peculiar, quanto mais natural, mais atraente, não importa seu tipo físico, eu gosto é de homem com jeito de homem e não de boneco Ken.
__ Do que você gosta?
Primeiro pensei num japa, mas não me acerto com os pauzinhos, decidi conduzi-lo a um barzinho agitado.
__ Bebe alguma coisa?
__ Uma taça de vinho tinto.
Pediu um vinho e brindamos.
__ A nós.
Não parecia ter pressa em me devorar, bebemos, conversamos, trocamos carícias.
__ Adorei suas pernas.
Elogiou, estava com um vestido curto larguinho, uma jaqueta jeans, um cachecol e uma sapatilha. Procuro ser sempre eu mesma em meus encontros e tem dado certo. Cruzei as pernas.
__ Olha que coxa...
Passou a mão sobre meu laço tatuado, estava me seduzindo e eu estava gostando.
__ Adorei sua barba.
Era uma barba grisalha, volumosa.
__ E eu adorei você toda.
Ruborizei, puta também ruboriza!
__ Que foi?
__ Gentileza sua.
Pedimos uma porção, comi bem pouco, ele também não comeu muito.
__ Quero um beijo.
Quantos quisesse, os daria.
__ O que acha de pedirmos para embrulhar?
Se referia a comida, concordei.
__ No hotel a gente come...
Tive que interrompe-lo.
__ No hotel acho que temos coisa melhor para fazer.
Percebi sua ereção, estava de bermuda, moletom e boné.
__ Fernanda...
__ Que foi?!
Pegou minha mão e discretamente levou ao seu pau. Amo sacanagens em público.
__ Só de falar olha como me deixa... E esse seu decote, essa sua boca... Vamo para o hotel!
Rimos e terminamos nossa garrafa de vinho.
__ Amigão, você embrulha para gente levar?
__ Opa!
Logo estávamos novamente em seu carro, se pegando, dando aquele amasso, que pegada gostosa, quantas mãos, quantas línguas...
__ Gostosa!
Me arrepiei, beijou meu pescoço, roçou os pelos da barba nele.
__ Tá gostando?
Me perguntou:
__ Já viu criança não gostar de playground?
Não sei ser doutro jeito se não espontânea. Partimos para o hotel, chegando lá ele conversou com o recepcionista da minha chegada e entramos.
__ Que vontade de você...
Se sentou na cama e me puxou para si, nos beijamos, foi tirando a minha roupa e de lingerie vermelha fui envolvendo-o com meu corpo até vê-lo se libertar das suas e só aí descobri suas tatuagens, seus pelos no peito, o que não estava a mostra.
__ Acho... que esse pau tá chorando de alegria por mim.
__ De alegria, de tesão...
__ Deixa eu chupar para ver se é bom.
Ficou de pé, me sentei, acariciou meus cabelos, embolou os dedos em meus cachos e alcançou minha garganta com a rola.
__ Ah que boca!
Dei aquela babada sacana que escorre pelo saco, lambi as bolas, a piroca, mordisquei a virilha, chupei a cabecinha, chupei tudo!
__ Sua puta, vadia...
Cavalheiros que sabem como agir na hora da foda, falar safadeza, dar uns tapas, sem que deixem no entanto de ser cavalheiros, isso me excita a alma.
__ Abre essas pernas para mim, abre... Tira a calcinha e deita.
Me despi da lingerie, fiz o que me pediu.
__ Que buceta greluda! E tem pelinhos...
Em tempos de xoxotas carecas, ter um moicaninho faz diferença.
__ Pensei que nunca mais fosse ver isso!
__ Não gostou?
__ Adorei! Ainda mais assim raspadinha onde vou brincar com a língua.
Mal terminou de falar e já estava com a cabeça entre minhas coxas dedilhando os lábios da minha xana, sugando meu grelo, explorando-me com a boca. Que chupada gostosa!
__ Isso... se lambuza, cachorro!
Me arrancou um orgasmo, hora de retribuir o rapaz.
__ Vem!
Peguei na bolsa a camisinha e entreguei na mão dele, colocou e se agarrou em minha cintura, esperava-o empinadinha.
__ Ah sua gostosa!
Enfiou lentamente, desceu escorregando, apertado, sou justinha, quente e sei massagear uma neca dentro dela com a musculatura... Foi o que fiz a princípio enquanto me estocava gostoso, devagarzinho...
__ Que safada!
Rebolei, empinei mais a raba.
__ Você vale cada centavo pago... que vadia deliciosa...
Encostei meus pés um no outro para deixa-lo ainda mais louco dentro de mim e logo o deslizar macio deu lugar a socadas insanas.
__ Tá gostoso? Tá safadinha?
__ Muito!
Gritava, me esqueci que não estava num motel, me contive, um pouco. Tive que morder o travesseiro e toma-lhe vara.
__ Quer mudar de posição?
__ Está cansado?
__ Não... Quero me cansar.
Fiquei de ladinho, meteu feito um animal e depois bem suave.
__ Seu cuzinho tá piscando...
Estava.
__ Acho que ele quer pica...
__ Será que quer?
__ Eu acho.
__ Vou dar umas lambidas antes nele para saber.
Assim o fez, lambeu bem guloso e me colocou novamente de ladinho.
__ Tem razão, ele quer o meu pau.
Colocou aos poucos, fomos nos sentindo, perguntei:
__ Está bom?
__ Sensacional!
Continuou, foi se acoplando, se encaixando...
__ Mete tudo...
Meteu, ai que delícia!
__ Tô gozando pelo cu seu puto... tô gozando...
__ Caralho Fernanda! Se continuar assim eu gozo! Que rabo gostoso!
Sempre que gozo assim solto umas gargalhadas involuntárias... Me virou de frente, jogou minhas pernas sobre seus ombros e veio de novo, puro êxtase...
__ Antes de gozar quero comer mais essa bucetinha.
Mesmo estando limpinha, fez questão de trocar a camisinha.
__ Vem por cima...
Fui, cavalguei, sentada e deitada, pulei...
__ Porra, me chupa... Quero gozar na sua cara.
Comecei a chupa-lo, o pau tremia, parecia vivo...
__ Pode ir mais para baixo, se você quiser.
Ousadinho... Louco por um beijo grego, uma chupada no cuzinho... Coloquei um travesseiro em baixo de seus quadris para ter mais visibilidade, fui chupando bem safada, dando aquelas linguadas no rabo do macho... Respeito os que não curtem, porém um cara que passou por minha vida dizia que eu ficava transformada, que até meu rosto mudava, parecia tarada!
__ Ai sua gostosa... Que boca, caralho!
Chupava pica, chupava cuzinho, ele batia punheta, frenética... Senti seu corpo todo vibrar com minha língua dentro dele.
__ Ahhh... Não deu para segurar...
Consegui levar umas esporradas na cara, mas foi muita porra, em mim, nele...muita!
__ Maravilhosa! Olha só que lambança fez comigo...
Rimos.
__ Pode fumar, fique a vontade, eu parei, mas não me incomodo.
Já que deixou... Abri a janela antes de acender.
__ Toma um banho comigo?
__ Uhum... Deixa só eu terminar de fumar, vai indo na frente.
Receei ter soado indelicada, entretanto ele entendeu.
__ Te espero lá então.
Fumei, prendi os cabelos e vi a neblina esconder a cidade que um dia deixarei e na qual não voltarei jamais.
__ Está quentinha a água?
__ Deliciosa como você.
Entrei no box, a água estava mesmo muito agradável.
__ Esfrega as minhas costas?
Esfregou, minhas costas, meu bumbum, acabou me dando banho. Senti seu pau roçar minha bunda.
__ Gostoso...
Logo me ajoelhei, Alexandre se encostou no azulejo e deixou minha boca agir. A pica pulsava entre meus lábios.
__ Vira de costas.
Se virou e comentou:
__ Você gosta né...
__ Você também.
Chupei seu rabo, deixei-o tarado, beijei sua boca.
__ Vamos para cama?
Enxugou meu corpo e o seu.
__ Abre bem as pernas.
Abri, Alexandre vestiu seu prazer e em seguida me vestiu, entrou na minha xana e lá ficou esfolando-a, olho no olho.
__ Me morde!
Eu pedi, me mordeu, fiquei de quatro.
__ Quero brincar num e noutro.
__ Brinca...
Hora metendo no cu, hora na buceta, vezes dando uns tapas, puxando meu cabelo...
__ Ai, tô gozando... Não para de meter na xota seu puto!
Não parou, só saiu de dentro dela quando me viu leve pós orgasmo.
__ Minha vez agora.
Pediu que me deitasse mais uma vez de frente para ele, se masturbou e gozou sobre os pelinhos da minha xana.
__ Você é foda...
__ Tomarei isso como elogio, senhor.
Bateu fome, também... a hora passou voando, beliscamos a porção que pedimos para que embrulhassem no bar, descansamos... Pegamos no sono e amanheceu.
Decidi acorda-lo com uma chupada.
__ Bom dia gostosa.
A primeira mamada do dia deve ser vigorosa, poderosa... me engasguei, beijei, devorei a rola até extrair dela o leite de macho.
__ Uau!
Depois do prazer, sonolento olhou o relógio.
__ Vamos tomar café?
Nos aprontamos, descemos para o refeitório de mãos dadas como namorados, curtimos a companhia um do outro, confessei que só tomo café da manhã se for acompanhada, que acho solitário sozinha, melancólico. Passou geleia na minha torrada.
__ Você é uma garota diferente das outras.
__ Em qual sentido?
__ Sei lá, você é inteira, se entrega, não é tão profissional...
Nesse caso não ser tão profissional sem sombra de dúvidas é positivo para ambos, posso me dar ao luxo de dizer que me divirto com meus clientes, que sinto prazer!
__ Vai trabalhar hoje?
__ Não, viajo daqui uma hora no máximo, meu trabalho aqui terminou ontem e como não gosto de dirigir a noite, deixei para ir hoje pela manhã.
 Me deu um baque.
__ Então serei sua última lembrança de Jacareí?
__ A melhor.
Terminamos nosso café, subimos e ele arrumou as malas, conversamos mais, trocamos mais beijos, descemos, ele fechou a conta e me deixou em casa.
__ Foi um prazer ter sua companhia moça bonita...
__ O prazer foi meu.
E assim nos despedimos, disse que no final do ano deve retornar e que nos encontraremos.
Vou esperar.

E se quiser me encontrar agende seu horário pelo whatsapp: 11969250048
Venda de fotos e vídeos explícitos, meu conteúdo diário no seu whats a partir de 20,0  e 50,0 consulte informações.
Beijocas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário